Reciclando Vidas


AFINAL, O QUE É LIXO?


DEFINIÇÃO

Chamamos de lixo tudo aquilo que não nos serve mais e jogamos fora. Os dicionários de língua portuguesa definem a palavra como sendo: coisas inúteis, imprestáveis, velhas, sem valor; aquilo que se varre para tornar limpa uma casa ou uma cidade; entulho; qualquer material produzido pelo homem que perde a utilidade e é descartado.

Você já parou pra pensar que muito do que jogamos fora e consideramos sem valor pode ser aproveitado por outras pessoas?

Ué, mas se serve pra outras pessoas então não é lixo!

É isso aí, tá na hora de revermos o significado dessa palavra!

papel no lixo

Que tal “tudo aquilo que foi descartado e que, após determinado processo, pode ser útil e aproveitado pelo homem”?

Os materiais que ainda podem ser usados para outros fins mesmo depois de serem descartados, passarão a ser chamados de MATERIAIS REAPROVEITÁVEIS; já aqueles materiais que precisam ser descartados, mas após sofrerem transformações podem novamente ser usados pelo homem passarão a se chamar MATERIAIS RECICLÁVEIS!!!

Por exemplo: aquela famosa poltrona feita de garrafas do tipo PET é um reaproveitamento. Por outro lado a transformação química e física da garrafa PETem fibras de poliéster para a fabricação de tecido para roupas é um processo de reciclagem .

COLETA SELETIVA

O processo de reciclagem é composto de várias fases, porém sua realização depende de uma ação fundamental: a separação prévia dos materiais.

Misturar os materiais recicláveis com o lixo prejudica o reaproveitamento. Se o material reciclável for armazenado de forma separada, possibilita-se um maior aproveitamento.

Esse é só o começo do que chamamos de coleta seletiva. Trata-se daseparação e recolhimento, desde a origem, dos materiais potencialmente recicláveis.

IMPORTANTE:
A informação é a base da realização da coleta seletiva; o que inclui a educação de TODOS os participantes. Em caso de condomínios, é imprescindível a participação dos porteiros, zeladores, pessoal da administração e empregadas domésticas. Da mesma forma, nas escolas precisam estar envolvidos alunos, professores e demais funcionários.

Quem irá receber

Procure saber se existem na região grupos de catadores, sucateiros, ferros-velhos (geralmente eles só pegam grandes quantidades de material), ou iniciativas comunitárias e de organizações não-governamentais.


Como separar

Para a separação do material, basta ter em casa dois recipientes: um para o lixo úmido e rejeitos a serem recolhidos pela Companhia de Limpeza da Cidade e outro recipiente para o lixo seco: plástico, metal, vidro e papel, todos devidamente lavados e/ou limpos e secos.

No caso de condomínios, escolas ou empresas, pode-se aumentar o número de recipientes destinados à coleta seletiva, identificando-os por cores e tipos de material:

PAPEL

VIDRO

METAL

PLÁSTICO

ORGÂNICO

REJEITO

  • Azul – Papel;
  • Verde – Vidro;
  • Amarelo – Metal;
  • Vermelho – plástico;
  • Marrom – Orgânico;
  • Cinza – Material sujo e que não serve para a reciclagem.

É importante estabelecer um local prático e de fácil acesso para a colocação desses recipientes.

mat_vidro2mat_plastico2mat_papel

mat_metalmat_org2mat_outros2

Para onde vão os materiais

O material separado, ao ser entregue aos catadores é levado para um depósito, onde ele é triado, prensado e enfardado com o auxílio de prensas hidráulicas. Desse modo o volume de material é reduzido, otimizando o uso do espaço e facilitando a organização. Os fardos separados por material são então vendidos para os grandes sucateiros ou aparistas, que por sua vez vendem para as indústrias.

O resultado mais relevante de um processo de coleta seletiva é a postura de atenção permanente contra o desperdício.

O retorno financeiro, no entanto, nem sempre é expressivo. Sugere-se até, em alguns casos, doação ou complementação de festas de fim de ano.

Usina de Triagem e Compostagem

Unidade em que é realizada a separação manual ou mecânica dos materiais recicláveis contidos nos resíduos sólidos urbanos. Conta, em geral, com mesas ou esteiras para catação dos recicláveis e baias para seu armazenamento. É comum a utilização do termo usina de reciclagem para nomear tais unidades, embora não ocorram no local processos de reciclagem, mas sim a triagem dos materiais para posterior encaminhamento à reciclagem. A usina de triagem pode estar associada a uma usina de compostagem, onde ocorre o processamento da fração orgânica dos resíduos.

Fonte:

Meio Ambiente no Século 21

http://www.recicloteca.org.br/materiais.asp

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: